sábado, novembro 17, 2007

All we hear is Radio Ga Ga

Esta 2ª feira, foi publicada em 'Diário da República' a norma da Lei da Rádio que impõe a quota de 25% de música portuguesa nas rádios. Desses 25%, 35% têm de ser música portuguesa produzida no último ano.

A ideia parece boa, não é? Promover a música nacional. Retirar o excesso de estrangeirice comercial que se apoderou das ondas de FM em Portugal. E quem foi o maior impulsionador desta ideia?


NEL MONTEIROOOOOOO!

Sim, Nel Monteiro. Esse ícone da música portuguesa, autor de canções como «Azar na Praia», «Alô Alô Maria Antónia», «Motorista olha o balão», «Couve portuguesa (no Canadá)», «Linda "Amadora"», «Desculpe lá minha sogra», «Valsa da terceira idade», «Olinda Oliveira», «Tenho fé nesta canção», «Lai lai lai», «Há quanto tempo não vejo o padeiro», «Parabéns, parabéns pai», «Parabéns, parabéns mãe», «Mãe deixa-me viver», «É duro ser mãe», «Filha fizeste 18 anos», «Ela disse que sim», «Ela chupou», «Toca "o Bicho"»", «A dança do pepino», «As maminhas», «A gaita», «Bem boa», «Mama de vaca», E AINDA (numa perspectiva mais intimista).. «Oração de Maio», «Sra. dos Remédios (Romaria de Portugal)», «Senhora Santa Maria», «Puta vida, merda cagalhões» e «Vida puta, cagalhões merda» (entre outras, que podem encontrar no seu site oficial, que não aconselho).

Nel Monteiro foi a cara deste movimento. Para tal, vestiu o seu melhor fato, e deslocou-se à Assembleia da República, onde discursou perante os deputados (valeu a pena ver o Canal Parlamento nesse dia). E conseguiu o que queria. Depois, fez outra permanente.

O problema desta nova lei — sem contar com o Nel Monteiro — é não ser a medida necessária para impulsionar a nossa música. Tal como, se agora se decidisse que 25% do cinema que passava nas salas era português, não ajudaria a indústria cinematográfica nacional (a não ser que os filmes fossem os do Sá Leão).

A Romântica FM é uma rádio que se especializou em só transmitir música portuguesa, por isso esta lei não a vai afectar. No entanto, rádios como a Marginal ou a Classe FM, que também se especializaram em passar um determinado tipo de música, têm que alterar a sua filosofia e tornarem-se mais generalistas (visto não haver suficiente música Clássica e Jazz produzida no nosso país).

Eu acho que o que vai acabar por acontecer é passar-se a ouvir rádios da internet. Não há restrições, passam o tipo de música que nós queremos ouvir, e acabamos por evitar o Nel Monteiro.

1 comentário:

Ana disse...

Quem fiscaliza? Há pessoas a ouvir todos os dias para ver se eles estão a cumprir os 25%?????