quarta-feira, julho 04, 2007

A política, os frangos, e a Petri Hilton

Aviso prévio: este post 'bai dar uma ganda buolta!

Enquanto o Sócrates foi ao Gana, os candidatos para a autarquia da capital esgrimem os últimos argumentos. O Fernando Negrão, apesar do Alzheimer precoce que o leva a confundir PIDE com CNID, lá vai dizendo que "quem manda em Lisboa não é o Governo, é o Presidente" (do PSD, entenda-se). É uma táctica muito comum na política, quando a retórica é posta no bolso e se envereda por uma manobra que consiste em associar os candidatos adversários com algo negativo, haja ou não qualquer indício disso. Quem o fez com alguma mestria foi o George W. Bush, aquando da sua reeleição. O seu director de campanha passou constantemente a ideia que o John Kerry era um "flip-flopper" ("troca-tintas"). A ideia pegou, e foi o que se viu.

Para quem diz que o Bush não faz nada de jeito, aqui vai a prova do contrário: George W. Bush aproxima os povos. Aproximou os norte-americanos ao Iraque, e agora aproximou o Hugo Chavez com o Ahmadinejad.



Só nós 2 é que sabemos...


Quando o Kim Jong Il aparecer na foto, aí começa a tremideira. Os 3? Juntos? Goodness gracious! O americano vulgar vai começar a ficar nervoso, os cabelos brancos começam a aparecer, e é preciso dar um retoque na aparência.

E por falar em aparência, chegou-me aos ouvidos que estamos no Verão. Há muito boa gente com tempo disponível para deslocar-se à praia mais perto e fazer o único trabalho que sabe fazer (trabalhar pró bronze). Os que trabalham à séria (facilmente reconhecíveis na rua por se confundirem com as paredes caiadas dos prédios mais lavadinhos) gostavam de ter aquela tonalidade própria do político que vem de férias. Segundo fontes respeitadas na matéria (obrigado Anocas), o que "está a dar" é o bronzeado artificial. Para mim, isso abrange toda uma panóplia de candeeiros marados de luz roxa e tal. Mas eu sou "tão século passado!", que nem fazia ideia que há quem pague para ficar despido numa marquesa, enquanto uns senhores pincelam uma tinta semelhante à da pele bronzeada. A única vez que vi coisa assim, foi na churrascaria aqui da esquina, quando o senhor "churrascadeiro" resolveu besuntar o piri-piri no frango. Frango esse que, diga-se de passagem, é uma autêntica Placa de Petri para tudo o que é Salmonella e H5N1 e o catano.

E já que estamos numa de doenças, quero deixar aqui umas linhas em homenagem a quem também é muito propício à "apanha de doenças". Falo-vos da Paris Hilton. Diz quem sabe, que a rapariga foi presa, foi libertada, foi presa outra vez, foi libertada, e deu uma entrevista ao Larry King nos entretantos. A larga experiência do Larry King (que já vem dos tempos em que o Gutenberg lhe lia a Bíblia) levou a que este se preparasse muito bem para o tão aguardado momento televisivo, tomando cocktails diários de antibióticos durante 4 meses (as últimas indicações que temos é que... Sim!, Larry King sobreviveu). Que eu saiba, ninguém viu a galdéria herdeira na televisão, excepto um senhor que gosta muito do Bush, e tem uma gadelha semelhante à do Sá Fernandes: o Jay Leno. Usou as palavras dela, e fez isto...




Infelizmente no nosso país, acções destas levam a processos em tribunal. Ninguém encaixa estas tiradas humorísticas com normalidade, e depois há os despedimentos e as perseguições. E eu que estava à espera do debate entre o Garcia Pereira, o José Pinto-Coelho e o Gonçalo da Câmara Pereira...

2 comentários:

gonçalo disse...

Os políticos de Lisboa só kerem é maneira de ficar co aeroporto q é pra ficarem com o AVIÃO!!!1
E se keres bronze anda pró alentejo!!

gAnDaMaLuKo disse...

Bons olhos o leiam!!
O AVIÃO é um meio de transporte muito requisitado, por isso não admira que os políticos queiram ficar com ele. Quanto ao bronze no Alentejo.. acho que prefiro as pinceladas de tinta bronzeadora de umas meninas "hospedeiras"!