segunda-feira, outubro 02, 2006

A Gerência está de volta...

Olá pessoa-que-lê-este-post.

Então? Já tinha saudades de ver aqui as palhaçadas do costume, não é verdade?

Para todos os que se perguntam o que andei a fazer neste mês que se passou, a minha resposta é simples: não têm nada a ver com isso!

Agradeço a todos os que me enviaram mensagens de preocupação, e quero-vos assegurar que as análises vieram negativas, e que não estou grávido (o que para alguns é um alívio).

Sinto que não tenho nada para dizer, e por conseguinte vou dizê-lo muitas vezes.

Há coisa de 3 semanas, dei de caras com este anúncio que vinha no Público:


Emprego exigente


Pensei concorrer, mas a "boa apresentação", a "experiência prévia" e a "fluência em vários idiomas" deitaram por terra as minhas hipóteses em me tornar mendigo profissional. Além disso, o meu emprego anterior não causou boa impressão no meu curriculum vitae. A frustração levou à choradeira do costume, mas dei a volta por cima.

Entretanto, resolvi participar num concurso televisivo, para testar a minha cultura geral. Rapidamente me apercebi que deveria ter ido para mendigo. Uma das coisas que mais me atraiu foi, na 1ª página do contrato que tive de assinar, o seguinte parágrafo: "Declaro que sou maior de dezoito anos e que não sou sócio, administrador, gerente, empregado, colaborador ou agente, que não tenho qualquer interesse financeiro e não tenho qualquer vínculo familiar de casamento, parentesco e/ou afinidade até ao segundo grau da linha recta e até ao quarto grau da linha colateral, e de adopção com os responsáveis, empregados ou colaboradores das seguintes empresas e respectivas associadas (...)".Felizmente, a minha família resume-se a 3-4 pessoas em linha diagonal, e por isso sei exactamente o que fazem na vida.

Quanto à minha saúde... foi chão que já deu fruto (??!!?). Joelho e tornozelo da perna esquerda estão inutilizados, e como tal vou voltar à fisioterapia durante uns tempos (já estava desejoso daquele cheirinho a cloro...), antes de ir à faca. Correr, saltar, surfar e "skiar" estão completamente desaconselhados. O que aparentemente posso fazer, é basquetebol de cadeira de rodas, visto que a opinião vigente é que eu sou "Quatro e Meio"... mas podem-me tratar por Zézito que eu também não me importo.

A
cabo este post com um dito popular, que só há pouco tempo tive conhecimento, mas julgo resumir bem a minha essência: Homem magro e não de fome, fugi dele que é mau homem! Diz tudo, não é?

1 comentário:

M. Isabel disse...

É pá miudo lembra-te que podia ser muito pior! Podias estar agora, de cu para o ar, a cortar relva num qualquer rotunda em pleno Monsanto!
Beijocas grandes!!!