terça-feira, agosto 08, 2006

Tot straks! (e daí...)

Passaram-se quase 7 meses, e estou prestes a voltar à terra-mãe.

O sentimento de nostalgia foi-se instalando nos últimos dias, como é natural. Neste país deixo muitas memórias, sendo que um bom punhado delas é positivo. Ontem perguntaram-me se já tinha um pouco de “holandês” entranhado no meu “sistema”, o suficiente para deixar saudades. E a resposta é um redondo “não”. E porquê?

Porque da Holanda não irei sentir muita falta, nem do estilo de vida holandês. Nesta terra é quase tudo 8 ou 80. Convivi com pessoas formidáveis, da melhor estirpe com que já privei... 5 estrelas! Mas na sua maioria os holandeses são uma peste. Calculistas, egoístas, demasiadamente reservados e sem qualquer vontade de ajudar o próximo, seja qual for a sua nacionalidade. Antes de vir para a Holanda, tinha a noção que iria para um país mais avançado, com uma mentalidade mais liberal e sem a barafunda generalizada que existe em Portugal. Enganei-me. Ouvir cagar postas de pescada tornou-se cansativo a partir do 2º mês.

Mas são as boas pessoas com quem aqui convivi que irão deixar saudades. E todos os momentos passados com elas foram o suficiente para dizer que valeu a pena ter aqui estado. O meu estilo de vida diferia do holandês comum, e talvez tenha sido isso que me manteve mentalmente saudável nesta estadia. Vou sentir falta do meu modo de vida nos últimos meses, da experiência de viver sozinho num país estrangeiro, totalmente e unicamente dependente de mim, responsável pelos meus actos e livre de tomar as minhas opções.

Na memória ficam também as pessoas que, mesmo longe, não se esqueceram da minha existência. Quando me ausentei de Portugal, sabia que cedo não veria a família nem os amigos. Mas um SMS, um email, um telefonema ou uma carta aproximavam-me daí. Parece ridículo que uma coisa tão simples quanto um comentário neste blog, que toma 2-3 minutos da vida de quem o escreve, possa no final ter um significado maior para quem o lê, neste caso, um desterrado. Mas essas são as lembranças que ficam agora registadas, e que me levaram nessas alturas a atenuar a saudade que sentia.

E muito vivenciei eu na Holanda...

Boas memórias...

...e muito mais ficou por contar! Até à próxima!


5 comentários:

AMinhaVidaÉPublica disse...

Dear Carlitos,

Sabes q qd voltares as partes boas estão cá para te receber e as más já se esqueceram de ti, o q é optimo... e faz imeeeennssso bem à pél!
ps. o que estão a fazer aqueles meninos em tronco nu no background de uma das tuas fotos, tão agarradinhos...estavam com frio???
Aproveita o Verão!

Mike disse...

Ésumaior!
Qual o dia em que chegas puto?
Muito deve haver para contar!!
Bem sei o que é ir à caixa de correio/blog à espera de uma simples linha escrita por alguém conhecido. Esse sentimento de que apesar de se estar longe, saber que não se foi esquecido. Saber que quando se volta, as pessoas de quem se gosta lá estão á nossa espera, e com vontade de nos integrarem de novo nas suas vidas. Em suma deixar saudades.
Tenho a certeza que irás querer voltar aos sítios onde estiveste. Aposto que os teus olhos brilharão cada vez que vires imagens ou ouvires falar sobre Roterdão/Amesterdão/Delft, etc...

Inês disse...

Agora que já voltaste e passei o dia na praia contigo... e depois de ter ouvido inúmeras vezes que sou uma desleixada porque nunca te mandei um e-mail, aqui fica bem expresso que tinha saudades tuas e foi muito bom voltar a privar contigo! Bjinho grande

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. » »

Anónimo disse...

best regards, nice info »